Notícias

Suplemento x Dieta
Não vale tomar suplemento alimentar, sem dieta, diz nutróloga

Antonio Carlos Garcia

Para que o atleta possa estar em forma para as atividades físicas, além de estar com todos os exames médicos em dia, tenha orientação de um professor de Educação Física, é ideal que tem o acompanhamento de um profissional de nutrologia. Afinal, será o nutrólogo que vai sugerir uma alimentação equilibrada, prescrever as vitaminas necessárias para que o atleta tenha um bom desempenho no esporte que escolheu. Obviamente, com os corredores não é diferente. Por isso é que o tocorrendo.com conversou com nutróloga Norma Leite sobre o assunto para deixar você, leitor, um pouco mais informado a espeito do assunto.

Tocorrendo.com– Que uma boa alimentação é fundamental, disso ninguém tem dúvida. Mas quando o assunto envolve atletas – corredores de rua – por exemplo,  isso é um pouco diferente. Gostaria que você explicasse isso. Esses corredores precisam de um reforço alimentar?

Norma Leite– Sim, porque precisam de uma alimentação equilibrada em macronutrientes (carboidratos, proteínas e lipídeos) e micronutrientes (vitaminas e minerais). Para melhor desempenho e recuperação. A alimentação vai interferir nas reservas de glicogênio hepático e muscular, por isso a importância de um bom café da manhã para repor os estoques e acelerar o metabolismo, favorecendo o bom rendimento físico e intelectual.

Tocorendo.com– Como a senhora define um atleta amador, mesmo que ele tenha feito várias maratonas, e um profissional? Qual a diferença entre eles?  Cada um teria um tipo de suplemento alimentar, dependendo da atividade?
Norma Leite - O atleta amador é um praticante eventual que trabalha em outras atividades e mantêm uma atividade física como futebol, dança caminhada, frescobol, vôlei, etc. Podem tê-las como hobby ou uma rotina de atividades extenuantes como, por exemplo, dos triatletas. Isso porque mesmo amadores treinam às vezes mais pesado que atletas profissionais de outras modalidades. Todos têm que cuidar da alimentação e de prevenção de lesões para que haja um equilíbrio na saúde. Atletas profissionais de alta performance têm uma  programação de treino de 8 horas semelhante a um expediente de trabalho comum, o desgaste físico é imenso, necessitam de acompanhamento especializado com uma equipe multidisciplinar.

Tocorrendo.com- Nas academias – de corrida ou não -  sempre orientam os alunos a realizarem exames médicos antes de começar uma atividade física. Seria recomendável, também, procurar uma nutróloga (a)? Pergunto isso, porque  hoje muita gente faz a corrida de rua e reclama porque não emagreceu, por exemplo.
 Norma Leite - Sim, para todos os objetivos desde bem estar a emagrecimento, muitas vezes o paciente inicia uma atividade física sem saber se seu corpo está faltando algum nutriente, v taminas, minerais, se tem alguma alteração metabólica, como por exemplo, hipotireoidismo que dificulta rendimento. No acompanhamento nutrológico fazemos um rastreamento clínico com exames especiais, inclusive a bioimpedância que vai mostrar sua composição corporal, quanto de músculos, gordura, água você tem no seu corpo. Também no rastreamento incluímos os de rotina como colesterol, glicemia, ácido úrico entre outros. Sem a mudança na alimentação e ajustes dos nutrientes necessários o paciente tem vontade, mas não encontra disposição se sente cansado, sem energia para treinar e muitas vezes desiste. Fazer esses diagnósticos e orientar a alimentação mais indicada par cada tipo de atividades  física facilita a conquista do objetivo de ganhar saúde e performance. Não adianta só sair correndo por aí e continuar com os erros alimentares. A pessoa pode até emagrecer (ou não), mas com certeza sem obter todos os benefícios para sua saúde.

Tocorrendo.com - De que forma um nutrólogo ajuda o atleta? Esse trabalho é feito sempre em parceria com o professor de educação física?

Norma Leite- Gostaria muito que todos fossem acompanhados por um educador físico, seria o ideal para obter melhores resultados. Nos dois casos o professor é quem define o tipo de treinamento e nossa missão é fazer análise clínica e fornecer a orientação juntamente com o nutricionista de que tipo de alimentação e suplementação são mais indicadas para cada caso.

Tocorrendo.com- Hoje, o que mais vemos no mercado, são suplementos alimentares. Basta ir ao shopping, nas farmácias, etc.  Esses suplementos seguem a mesma regra dos medicamentos, ou seja, só devem ser usados se prescritos por um profissional? Gostaria que você explicasse sobre isso.
Norma Leite - Os suplementos não tem controle de prescrição, podem ser vendidos livremente. Sem orientação profissional, você pode estar não estar consumindo da melhor forma. São indicados para pessoas que necessitam de mais calorias, proteínas e vitaminas, além das que adquiridas nas refeições diárias como os atletas profissionais. Alguns suplementos podem conter quantidades exageradas de açúcar, sódio, corantes, saborizantes, podendo levar até as alergias. É importante ressaltar que o uso é complementar e não substitui uma boa alimentação. Além disso, temos algumas contraindicações  clínicas. Em diabéticos, por exemplo, os hipercalóricos podem elevar a glicemia e em hipertensos e cardíacos a cafeína e “pré-treinos” podem levar a hipertensão, taquicardia e arritmias. Os amadores, frequentadores de academia, idosos em situação de perda de massa muscular também podem fazer uso e adquirir melhora do rendimento, recuperação da massa muscular e hipertrofia  . Após exame físico, laboratorial, análise da rotina de alimentação e treino a indicação de qual suplemento tomar  fica muito mais específica e individualizada.

Todos os direitos reservados
(79) 9 9993-1455  |  cesar.fotojornalista@gmail.com